Yoga e o Corpo

Atualizado: 13 de Jul de 2020

“Nada é tão sublime quanto ter um caminho, ser um caminhante e se colocar humildemente as orientações dos ensinamentos. Neste processo, a compreensão do caminho vai se dando pela prática constante e ininterrupta, favorecendo uma amplitude de visão que revela a realidade de forma mais limpa e verdadeira. Os véus da ignorância, do apego e do egoísmo vão se atenuando para se descortinar a nossa a poderosa percepção daquilo que somos.” (Maria Laura Garcia Packer - A Senda do Yoga)


Cada praticante de Yoga trilha seu caminho de forma única dentro do Yoga, sendo algo a ser vivenciado de dentro para fora. O Yoga é para ser experimentado profunda e intimamente dentro de nós (T. K. V. Desikachar). Este processo de voltar-se para dentro, de aproximar o eu inferior ao Eu Superior é Yoga, que vem da raiz sânscrita “yuj”, que significa atar, reunir, união ou comunhão da nossa alma individual (Jivatman) com o Princípio Supremo (Paramatman).


Através da experiência corporal que se inicia neste caminho, que se constrói a identidade yogi. Segundo Tales Nunes: “Essa identidade yogi é marcada por uma estética corporal específica, por uma maneira de se colocar corporalmente no mundo que é criadora de significados e de símbolos sociais. Essa identidade igualmente é marcada por valores determinados e por uma conduta a ser seguida que são construídos a partir ou em referência ao corpo.”

O corpo é nossa realidade perceptível, onde abrigamos nossa inteligência, sentimento e alma. Tomar consciência do corpo é ter acesso ao ser inteiro, pois corpo, espírito, psíquico e físico, até a força e a fraqueza representam a unidade do Ser, a integração da dualidade.

Ao desenvolver a consciência corporal na prática de Yoga, permanecemos conscientes de todas as mensagens e manifestações que se instalam no corpo físico. Na perspectiva do Yoga, o ser humano possui três corpos, conhecidos na Tradição Sabedoria da Índia como os três níveis de expressão da consciência:

  • Corpo Físico (Sthúla Sharíra): É o corpo visível, é o que dá a ideia da realidade do “eu”, do “ego” e está sujeito ao nascimento e à morte. É apenas um invólucro denso da consciência e corresponde ao Anna-máyá-kosha (revestimento ilusório de alimento; funções orgânicas; é purificado pelos Kryás e estabilizado pelos Ásanas; através de uma dieta sáttvica o mantemos saudável).


  • Corpo Sutil (Súkshma Sharíra): É invisível para o olho não treinado, mas é possível percebê-lo por outros meios, é o corpo que dá vitalidade ao corpo físico. Sua expressão se dá pelo campo de energia e necessidades psíquicas e está apegado aos objetos de desejo, do “meu”, do “quero”. É neste corpo que as emoções e os pensamentos têm suas expressões. É formado por três camadas (koshas): Prána-maya-kosha (corpo ilusório feito de energia vital; sede do prána-vayus-5 pránas; é purificado através dos pránáyámas; sede dos Chakras; mantém a vida no corpo físico), Mano-maya-kosha (feito de matéria mental e astral – emoções; sede dos desejos e paixões; é constituído pelos cinco órgãos do conhecimento – cinco sentidos; é a mente reativa; é purificada através dos yamas e niyamas, ásanas e pratyáhára) e Vijñana-maya-kosha (corpo ilusório feito de conhecimento; é a mente superior, que investiga, discerne, intui; portador da luz interior; ativamos este invólucro através da meditação, mantras e sentimentos e pensamentos elevados).


  • Corpo Causal (Karana Sharíra): É o que dá sentido à existência dos outros corpos. Está além da mente e da consciência e somente através da introspecção profunda conseguimos senti-lo. Nele está contida toda a potencialidade dos outros dois corpos. A alma individual (Átman) mora neste corpo, e a sua natureza é sat chit ananda: verdade, consciência e bem-aventurança. É formado pelo Ananda-maya-kosha (veículo de bem-aventurança; reflete o Ser Interior; aspecto espiritual do Ser e se expressa pela luminosidade e unicidade; se expressa nos momentos de profunda gratidão e êxtase pelo momento presente; é a causa dos outros demais corpos).

Na prática de Hatha Yoga trabalhamos o corpo físico, e também, nossa esfera psicológica e energética, atuando profundamente na estrutura psicofísica, conferindo saúde perfeita e equilíbrio. Hatha se refere ao equilíbrio de duas forças prânicas no corpo humano conhecidas como prána e apána. É o equilíbrio dessas duas forças que mantém a saúde perfeita no organismo. Para onde se dirige a consciência, é para onde se move o prana.

Quando trazemos a atenção para o corpo, a mente se volta para o momento presente. O corpo vive no aqui e agora, desta forma, deixamos de flutuar entre o passado e o futuro. Ao trazer a consciência para o corpo físico, conseguimos modificá-lo. Modificando os aspectos físicos, modificamos o estado mental e emocional. Ao modificar o estado mental e emocional, modificamos os aspectos físicos. Assim observamos que estes aspectos estão sempre interligados.


Referências:


NUNES, Tales da Costa Lima. YOGA: Do corpo, a consciência; do corpo à consciência. Santa Catarina, 2008.


PACKER, Maria Laura Garcia. A senda do yoga: filosofia, prática e terapêutica. Blumenau: Nova Letra, 2009.



44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo