A diferença do professor para a prática de Yoga

Um dos aspectos mais importantes ao buscarmos a prática de Yoga é encontrar um bom professor, aquele que consegue te conduzir para o caminho “de dentro”. Em alguns casos, ocorre uma identificação imediata com aquele que está transmitindo o conhecimento e conduzindo a aula. Mas há inúmeros casos em que o praticante não encontra este professor de primeira, isso faz com que muitos acabem desistindo de praticar por não acharem que Yoga seja algo adequado para eles.


Por isso ressalto a importância de se buscar o método e o professor com quem o aluno se identifica. Pessoalmente, o processo para mim foi este. Não tive muita identificação com os primeiros professores que encontrei, mas quando encontrei a “minha” professora, aquela que me fez sentir o Yoga na alma, soube que ali era o meu lugar e assim, com a prática constante, o Yoga foi transformando minha vida. E tem sido assim também com meus alunos, existe essa identificação e admiração, o tempo pode passar e os alunos continuam ali, próximos ou à distância.


Vejo que esta conexão entre aluno e professor é muito importante para uma boa prática de Yoga, desta forma, as aulas fluem de forma leve e tranquila, visto que os alunos estão abertos para aprender e confiam no trabalho do professor. E este professor além de ensinar também aprende, atuando como um espelho em que o aluno pode enxergar suas dificuldades e também, suas potencialidades.


Ser um professor de Yoga vai muito além de ensinar posturas, é ensinar o caminho para o autoconhecimento, para este olhar interno, isto só é possível se este professor se propõe a fazer este caminho também. Ou seja, o professor de Yoga transmite aquilo que já aprendeu, por isso é um processo para a vida toda. Percebo que quanto mais amadureço neste caminhar do Yoga e

do autoconhecimento, melhor professora vou me tornando. Vamos aprendendo, ensinando, amadurecendo e assim, instruindo aqueles que se conectam com o nosso caminhar.


E ao meu ver, ser um bom professor de Yoga vai muito além de transmitir técnicas, é viver na pele o que o Yoga nos traz, é ser verdadeiro consigo mesmo e compreender que somos professores, mas também, alunos. É praticar diariamente, estudar, pesquisar, ler bastante, fazer cursos. É ir se aprimorando a cada dia como professor e como pessoa. É ter a sensação de que, por mais que o tempo passe, ainda se tem muito a aprender. Não é ser perfeito, mas saber reconhecer suas limitações e imperfeições e buscar o conhecimento para poder melhorar como ser humano. Muitas vezes este conhecimento não está nos livros, mas colocando em prática o que aprendemos nos Sutras, no desenvolver da empatia, da honestidade, da tolerância, da compaixão e do desapego.


E neste dia dos professores eu parabenizo todos aqueles que estão dispostos a ensinar o Yoga, a viver este caminho que nem sempre é fácil, pois na profissão vivemos também inúmeros desafios. Mas sem dúvida, transbordamos de alegria quando percebemos que o aluno se encontra na prática, levando com seriedade e conseguindo transformar a si mesmo buscando uma vida mais equilibrada.


Parabenizo especialmente aquela professora que fez com que o Yoga fizesse sentido para mim, gratidão professora Dorcas Vale. E parabenizo todos os professores, em especial os meus alunos que se dedicam à educação e através da prática de Yoga, conseguem equilibrar saúde e docência, mesmo em tempos tão difíceis.


Imagens: Aulas realizadas no IFPR e CMEI em Londrina, à convite das professoras Tânia e Mariana da rede pública.






10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Plenitude