A de Ásana



Quando começamos a praticar Yoga, começamos a lidar com o corpo através dos ásanas. Ásanas são as posturas psicofísicas do Yoga. Atuam no nosso organismo todo: massageando glândulas, órgãos e centros nervosos. Como consequência, a prática dos ásanas equilibra o corpo e nos deixa com a saúde perfeita. Mas como os ásanas devem ser executados?


Quando digitamos Yoga no google ou pesquisamos perfis relacionados no instagram/facebook, encontramos muito material com posturas difíceis, levando muitos iniciantes na prática, a forçarem o corpo em busca da “postura perfeita”. Na busca desta “perfeição”, causamos dores, mente reativa, desconforto consigo mesmo, falta de aceitação. “A postura deve ser estável e confortável.” - Patanjali, Yoga Sutra II.46. Ou seja, ásana significa literalmente “postura facilmente mantida” e deve ser executado lentamente, de forma que o corpo permaneça em um estado relaxado e com plena atenção no momento presente através da respiração profunda. É sempre importante lembrar que os ásanas não devem ser executados de forma rápida, tensa e fatigante, como se fossem apenas exercícios físicos. A execução deve ser lenta e serena e produzir o acúmulo de energia, e não a sua dispersão, favorecendo assim o equilíbrio físico e psíquico.

“Ásana simplesmente significa postura. Adotar uma postura é permanecer nela de forma firme e relaxada. “Não tão firme que cause tensão, nem tão relaxada que induza ao sono.” A postura firme e relaxada (sthira e sukha) objetiva dar uma certa qualidade aos movimentos corporais. Firmeza denota força interna, enquanto relaxamento significa suavidade.
Quando realizamos a postura com força interna e suavidade, geramos um movimento prânico altamente curador, capaz de atuar em todos os níveis de nossa consciência. A postura firme e relaxada é possível quando a mente está serena, pois, sem serenidade, qualquer postura gerará tensão e atitude mental reativa. Permanecer firme e sem tensão por certo tempo na postura, é o grande passo para construirmos um corpo perfeito ou adamantino, como dizem os mestres.” (A Senda do Yoga - Maria Laura Garcia Packer)


Importante lembrar-se de, ao realizar o ásana, manter a força interna e a suavidade. Desta forma, atuamos nos movimentos prânicos (circulação da energia vital) que são altamente curadores, atuando nos diversos tipos de nossa consciência. Isto só será possível com a mente serena. Sem serenidade, o ásana irá gerar tensão e mente reativa. Respiração profunda, relaxamento, consciência corporal, atitude mental com foco no momento presente. Desta forma, preparamos o corpo e a mente para a meditação, ou então, para os desafios do dia a dia.

32 visualizações
  • Youtube

© 2020 Jardim Yoga. Londrina - PR

 

Por                     

credits-branco.png